Artigos

Cisto coccígeo: existe perigo, quanto tempo tratar e o que ajudará?

Pin
+1
Send
Share
Send

O cisto do cóccix é uma alteração patológica no tecido subcutâneo do cóccix, que forma uma conexão com o meio ambiente através da formação de uma passagem epitelial. O cisto do cóccix é uma doença dolorosa que reduz muito o padrão de vida do paciente. Com um cisto, um ECX é formado - a passagem coccígea epitelial. A doença é mais provavelmente masculina e aparece em um sexo mais forte várias vezes com mais frequência. O cisto epitelial coccígeo refere-se à proctologia, pois é formado no ânus. A localização é frequentemente possível perto do ânus, apresentando o perigo de intoxicação sanguínea pelas fezes. Os sintomas e o tratamento variam muito de estágio para estágio; portanto, é aconselhável tratar a passagem epitelial do cóccix apenas com um bom especialista, sem recorrer a remédios populares.

Causas de ocorrência

Para cistos coccígeos, várias causas são identificadas, dependendo da alteração do nome. Começa com o desenvolvimento de cistos no tecido adiposo ao lado do cóccix. Um cisto é um tumor patológico oco com paredes finas, que geralmente é preenchido com líquido intercelular. Os tamanhos são diferentes e dependem da origem do cisto.

Muitas vezes, quase todas as causas são apenas secundárias, levando apenas a um curso agudo de cistose. Um cisto pode se formar mesmo durante o período pré-natal do desenvolvimento fetal, porém permanece pequeno até a exacerbação e o crescimento ativo. Seu desenvolvimento pode servir como trauma, estresse, perda de imunidade.

  • Os cistos epiteliais do cóccix e os sintomas são formados devido a:
  • Lesões sacrais,
  • Hiperidrose no sacro e cóccix,
  • Hipotermia,
  • Imunidade diminuída,
  • Estilo de vida sedentário
  • Má higiene.

Lesões na articulação sacro, cóccix e sacrococcígeo causam neoplasias nos tecidos lesionados, neste caso, trauma da gordura subcutânea, que causa a formação de novos tecidos. Freqüentemente, essas lesões ocorrem no inverno, o que, combinado com um sistema imunológico enfraquecido e hipotermia, causa a formação de tecidos patológicos. Normalmente, o sistema imunológico destrói formações patológicas que não correspondem às células normais do corpo. O mesmo processo ocorre com as células cancerígenas, portanto, com o enfraquecimento do sistema imunológico, podem ocorrer tumores.

Um cisto começa despercebido por uma pessoa, à medida que a educação se desenvolve lentamente.

A transpiração aumenta os danos nos tecidos superficiais; quando a higiene é iniciada, pode causar purificação, o que acelera o processo, o que aumenta a passagem epitelial do cóccix. Após afinar a parede, ocorre o processo de abertura do cisto, que é acompanhado por sangramento, separação de pus e dor. Na passagem coccígea, os sintomas da inflamação serão visíveis.

A hipotermia pode causar necrose do tecido adiposo. Uma grande quantidade de água é depositada no tecido adiposo, que é um bom condutor de calor. Isso leva à hipotermia do tecido adiposo, sua destruição. Quando localizada ao nível do cóccix, a necrose subcutânea ocorre sem lesões significativas, pois estão distantes dos órgãos. Após a destruição, o espaço vazio é preenchido com fluido intercelular.

Se as lesões forem grandes o suficiente, a área será fechada por tecido epitelial, que forma as paredes do cisto. A passagem epitelial coccígea se desenvolve se esse processo não for interrompido.

Uma diminuição da imunidade geralmente leva à formação de várias formações. Uma das funções dos glóbulos brancos é a destruição de células que possuem um conjunto mutado de DNA e RNA. No caso de enfraquecimento, a contagem de leucócitos se torna insuficiente para destruir as células. Após algum tempo, o processo se torna impossível devido à modificação do aparato de reconhecimento dos glóbulos brancos, que começa a perceber a célula tumoral doente como saudável.

Um estilo de vida sedentário como um todo afeta negativamente a coluna vertebral - a osteocondrose se desenvolve, os discos intervertebrais se deterioram, as raízes nervosas e o tecido circundante são beliscados. O tecido adiposo também pertence a esses tecidos. O processo é semelhante à necrose durante a hipotermia. Forma-se uma vesícula cística, que cresce e se enche de líquido. A passagem epitelial coccígea neste caso é formada devido ao afinamento dos tecidos tegumentares.

Estágios da doença

Existem dois estágios - cistos e cistos dermóides. O primeiro é apenas a formação de cistos no tecido adiposo. Pode não apresentar sintomas visíveis por muitos anos e pode ser detectado por acaso apenas com imagens de ressonância magnética geral. Um cisto dermóide é caracterizado pela formação de uma fístula. Esta condição é aguda, úlceras são formadas, órgãos próximos estão inflamados. Esta condição requer tratamento imediato.

Sintomas

Como a doença pode ser assintomática por um longo tempo, os principais sintomas são diferenciados na fase de um forte aumento no tamanho do cisto e na formação de um cisto dermóide. Na fase de ampliação do cisto, existem:

  • Dor nas nádegas
  • A formação de um selo na dobra glútea,
  • Vermelhidão e inchaço
  • Cabelo encravado na pele,
  • Intoxicação.

A dor na região das nádegas está associada a uma pitada de tecido nervoso que fica no plexo coccígeo e sacral. A dor pode assumir um caráter intermitente e estremecido. Serão sintomas da formação de supuração no cisto, que secretam periodicamente pus. Com o pus, os sintomas de intoxicação também serão visíveis - insônia, febre, dor de cabeça e, em casos extremos, vômito.

A dor pode aumentar com uma mudança de posição - ao andar ou sentar. Nesse caso, você deve consultar imediatamente um médico, pois, além da cistose, o cóccix pode ser danificado, sua inversão ou os estágios iniciais da osteocondrose. O cisto palpará como um selo, doloroso à pressão. Em sua estrutura, será semelhante a uma infiltração densa. É importante não pressionar o selo com força, pois é possível provocar uma ruptura do cisto e a liberação do conteúdo no tecido. Os esforços também podem causar ruptura dos tecidos da superfície.

Os seguintes sintomas são típicos para um cisto dermóide e uma passagem coccígea:

  • Fístula
  • Abscesso no cóccix,
  • Osteomielite
  • Paraproctite e proctite,
  • Pele eczema.

A fístula é uma comunicação patológica e não natural entre o meio ambiente e as partes internas do corpo. Externamente, parecerá um buraco no cóccix, que termina em tecido adiposo, osso ou, nos casos mais graves, no reto. Como conseqüência da fístula, podem ocorrer várias lesões teciduais.

Osteomielite é uma lesão purulenta dos ossos. O pus que se forma no cisto envenena o tecido circundante.

  • Aconselhamos a ler: por que o cóccix dói

A mais grave será a osteomielite sacral, que causa danos aos tecidos da medula espinhal e, como resultado, pode levar à perda de atividade das extremidades inferiores e à morte se a doença se desenvolver. Paraproctite e proctite são doenças do reto e tecidos circundantes, caracterizadas por danos nos tecidos e desenvolvimento de processos inflamatórios. O cisto do cóccix e o sacro nos homens também podem afetar a próstata, causando prostatite purulenta.

O eczema é chamado de inflamação crônica dos tecidos, neste caso, as camadas superiores da pele. Eles levam à inflamação, dor e inchaço.

Tratamento

O tratamento mais comum é a excisão de cisto e sutura da pele. As técnicas são diferentes, mas a essência da operação é uma - o cisto é completamente removido do tecido adiposo e o local do corte é costurado, formando uma sutura. Os médicos distinguem os seguintes métodos:

  • Método de ferida aberta,
  • Método de ferida fechada
  • Método basco
  • Método Karidakis.

Os métodos de feridas abertas e fechadas são semelhantes. A operação começa com a excisão da pele ao redor do cisto, o local é determinado por ressonância magnética ou raio-X. Depois disso, todo o conteúdo do cisto é removido, os movimentos são limpos. Com o método de ferida aberta, as bordas são suturadas para dentro do fundo da ferida. Isso aumenta o período de cicatrização para 4-8 semanas, mas impede o desenvolvimento de recaídas e cistos repetidos.

Quando a ferida é fechada, resta um pequeno orifício para drenagem, onde é inserido um tubo de drenagem para pus. O restante da ferida é costurado, formando uma sutura. O método garante uma recuperação mais rápida - cerca de 2-3 semanas, no entanto, a chance de formar supurações repetidas e a formação de um cisto secundário é aumentada.

O método basco é uma excisão com a remoção de um cisto, no qual as fístulas são posteriormente usadas para a drenagem.

Isso permite que você acelere o processo de cicatrização mais rapidamente, pois o método requer uma área de incisão menor. O cisto coccígeo é perfeitamente tratável por esse método e, na presença de fístulas secundárias, é utilizado conforme recomendado. O método Karidakis é uma seção de deslocamento na direção da linha média entre as nádegas. Isso permite que você melhore a velocidade de cicatrização e quase não deixa cicatrizes não naturais no corpo, pois a sutura cirúrgica diminui rapidamente com o tempo e fica invisível na linha glútea.

Quase sempre, as operações de remoção são realizadas sob anestesia local, porque nesse nível não há um grande número de plexos ou vasos nervosos importantes. Em geral, o prognóstico para a cirurgia é positivo, raramente ocorrem complicações. A dificuldade é apresentada se a patologia é complicada pelos processos purulentos em andamento dos órgãos e ossos pélvicos. Apesar da aparente insignificância da doença, não hesite em consultar um médico. Vale a pena estar ciente de suas ações, pois diminuir a velocidade e enfrentar o processo de tratamento só pode causar mais danos ao seu corpo.

Eu aconselho você a ler mais artigos sobre o tema

O médico é um terapeuta manual, traumatologista ortopédico, terapeuta do ozônio. Métodos de exposição: osteopatia, relaxamento pós-isométrico, injeções intra-articulares, técnica manual macia, massagem profunda, técnica analgésica, cranioterapia, acupuntura, administração intra-articular de medicamentos.

Sintomas principais

É importante saber como é um cisto para procurar ajuda médica em tempo hábil. A formação cística no cóccix passa por 2 estágios, cada um dos quais é caracterizado por sintomas especiais. No primeiro estágio, o paciente pode não apresentar sintomas por muito tempo. Eles aparecem quando a formação cística cresce de tamanho e fica inflamada. Nesse caso, a pessoa observa os seguintes sintomas:

  • dor na região das nádegas,
  • densificação na cavidade glútea,
  • vermelhidão e inchaço da área afetada,
  • pêlos encravados na pele.

A dor é causada pela compressão das fibras nervosas localizadas no plexo coccígeo-sacral. A dor é tremendo e temporária. Além disso, uma pessoa pode perceber que há pus que se destaca da formação. O paciente apresenta sinais de intoxicação, nos quais o sono normal desaparece, a temperatura corporal aumenta, dores de cabeça e vômitos são perturbadores.

No segundo estágio, uma pessoa pode sentir uma infiltração densa no cóccix. Em nenhum caso você deve pressionar o selo com força, pois essas ações provocarão uma abertura do cisto e a liberação de pus para fora. Um cisto purulento ou dermóide é caracterizado pela formação de uma fístula no ânus. Se houver uma fístula no ânus, os seguintes sintomas se desenvolvem:

  • um abscesso na área da ponta,
  • processo purulento-necrótico no tecido ósseo,
  • o desenvolvimento de paraproctite e proctite,
  • comichão e queimação da pele afetada.
Voltar ao índice

Procedimentos de diagnóstico

Para detectar o cisto coccígeo e determinar seu estágio, o paciente precisa consultar um médico e se submeter a procedimentos de diagnóstico. Por via de regra, é suficiente para o médico coletar uma anamnese e examinar a área afetada para estabelecer um diagnóstico preciso. Em caso de dúvida, é prescrito um exame radiográfico do assoalho pélvico. Assim, o médico excluirá a fístula retal e a osteomielite da zona sacrococcígea.

Cirurgia do cisto

É impossível curar uma formação cística no cóccix sem cirurgia, pois a recidiva ocorre constantemente, o que levará ao desenvolvimento de uma forma crônica e complicações. A cirurgia é prescrita pelo médico assistente individualmente para cada paciente. Antes da cirurgia, o médico pode prescrever medicamentos que aliviam a dor e melhoram a condição do paciente. Recomenda-se tratar com anti-inflamatórios não esteróides:

Variedades

A excisão do cisto do cóccix é realizada de várias maneiras, dependendo da gravidade da doença. A operação para remover a formação é realizada no estágio de remissão; como exceção, a cirurgia de emergência é realizada durante a exacerbação. A fístula anorretal é removida sob anestesia geral ou local. A tabela mostra os principais métodos para remover o cisto do cóccix.

O que é perigoso

Se o paciente procurar ajuda médica imediatamente após a detecção de um infiltrado ou abscesso, uma operação é realizada para remover o CEC e a recuperação ocorre. O tratamento sem cirurgia pode ser limitado à drenagem de cavidades purulentas, mas não levará ao resultado desejado.

Com um curso prolongado, a inflamação purulenta se espalha gradualmente para estruturas próximas, novos abscessos e passagens sinuosas e fistulosas, com orifícios no períneo e forma de dobras inguinais.

Nesse caso, uma alta probabilidade de desenvolver uma série de complicações, incluindo:

  • pioderma,
  • actinomicose,
  • eczema
  • osteomielite - inflamação dos ossos pélvicos,
  • proctite e paraproctite.

Tais complicações requerem um tratamento longo e complexo. A cirurgia é realizada em um volume muito maior, a reabilitação é mais difícil e o risco de recaída aumenta.

Com qual médico devo entrar em contato

Um proctologista está envolvido no diagnóstico e tratamento de cistos no cóccix. Você também pode entrar em contato com um terapeuta, que, se necessário, fará referência a um especialista restrito. O fato de o cisto estar inflamado é indicado por aberturas primárias na prega interglútea. Portanto, na maioria dos casos, o diagnóstico de ECX não é difícil.

Para confirmar o diagnóstico e excluir outras doenças, radiografia, colonoscopia, sigmoidoscopia, ultrassom e fistulografia (raramente) podem ser prescritos.

Técnicas Operacionais

A remoção da passagem epitelial coccígea pode ser realizada de várias maneiras:

  • o método aberto é usado em operações de emergência com a presença de uma ferida aberta e inflamação aguda. O cirurgião remove completamente o cisto e coloca as bordas da ferida na parte inferior. Este método é bastante traumático, pelo que o período de cicatrização pode ser prolongado até 1,5 meses,
  • um método fechado é usado para operações planejadas quando não há processo inflamatório agudo. O médico também extirpa todo o cisto, mas quando a ferida é suturada, deixa um pequeno orifício para drenagem,
  • O método da Bascom é a remoção subcutânea do cisto. Tal operação é bastante complicada, mas minimamente invasiva, tem um risco mínimo de recaída e complicações. É por isso que os cirurgiões costumam escolher esse método,
  • O método de Karidakis é a remoção de uma formação cística juntamente com um retalho cutâneo e o deslocamento simultâneo da área afetada para a prega interglútea. Após essa intervenção, a ferida cicatriza mais rapidamente, o tempo de recuperação é reduzido.

Prognóstico e prevenção de recaídas

No caso de uma remoção completa do canal patológico e dos tecidos infectados, o prognóstico é favorável: o paciente se recupera completamente. Após a cirurgia, ele está sob a supervisão de um especialista até a cura final da ferida.

Como medidas preventivas para evitar recaídas, recomenda-se barbear os cabelos ao redor da ferida em tempo hábil, usar roupas folgadas de tecidos naturais. Uma condição importante para a prevenção da reinfecção é a implementação regular de procedimentos gerais de higiene, especialmente na área das pregas interglúteos.

O que é isso

Algumas patologias do sistema músculo-esquelético são caracterizadas pelo fato de que, mesmo já presentes no corpo, há muito tempo não se fazem sentir. Além disso, vários deles são devidos a fatores hereditários ou características da formação do corpo, mesmo na fase de desenvolvimento fetal. Por exemplo, um cisto coccígeo aparece no momento em que o bebê está se desenvolvendo com força e força dentro da mãe. É formado no momento em que existe uma criação ativa de tecido do cóccix e sacro.. Mas nem sempre aparece, mas apenas se esses tecidos são formados incorretamente.

O mecanismo de formação desse cisto é o seguinte: na área da prega entre as nádegas, existe uma cavidade estreita e alongada chamada passagem coccígea. Por dentro, ele não tem conexão com o cóccix e é revestido com tecido epitelial. No entanto, na superfície da pele, existem dois pequenos orifícios que não são visíveis aos olhos. Eles são chamados de passagem epitelial primária, as secreções de suor e das glândulas sebáceas podem escapar através dele. Curiosamente, a passagem coccígea é formada a partir dos rudimentos da cauda, ​​que no curso da evolução em humanos desapareceram, mas começaram a se desenvolver durante o desenvolvimento embrionário. No entanto, ele desaparece sob a influência de hormônios especiais - o processo segue como se estivesse na direção oposta. Se, nesse momento, ocorrer algum mau funcionamento, o processo não será concluído completamente e a mesma passagem epitelial é formada, iniciando no tecido adiposo e terminando na área do inter-animal na superfície da pele.

Um cisto é formado em caso de obstrução do curso primário ou falta de higiene - os processos inflamatórios começam dentro da cavidade. Por si só, representa uma cápsula da cavidade. Com o tempo, sem tratamento adequado, a inflamação se transformará em supuração. Depois de algum tempo, uma fístula aparece na pele - o chamado buraco secundário.

Nota! O cisto do cóccix, por via de regra, se desenvolve em homens de 15 a 40 anos, enquanto as mulheres não correm risco. Mas mesmo entre o sexo justo, um cisto ainda pode se desenvolver.

Tabela Tipos de cistos coccígeos.

TipoDescrição do produto
É formado na parte superior do epitélio, em suas camadas superiores.

Desenvolve-se sob a pele, mas é mais profundo que a passagem epitelial. Difere dele por não ter uma abertura externa - apenas um tumor (felizmente benigno) é visível na pele. O tumor pode começar a apodrecer. O cisto cresce e requer tratamento urgente.

Desenvolve-se no contexto de inflamação do folículo piloso ou devido ao crescimento inadequado de pêlos na pele (por exemplo, quando o cabelo cresce).

Esta é a última forma de cisto. Existem abundantes supurações na área de tecidos moles. Os líquidos são liberados através de um orifício na pele.

Importante! Um cisto não é uma doença na qual você pode acenar com a mão. Este é um tumor benigno que pode degenerar em um maligno, se você não o tratar com a devida atenção.

Sintomatologia

O cisto do cóccix, como tal, não apresenta sinais até o início da fase ativa do desenvolvimento. Mas ainda pode ser detectado mesmo no estágio latente - a cerca de 8 a 10 mm do ânus, há um pequeno orifício entre as duas nádegas. A patologia pode se desenvolver ao longo dos anos, embora não se manifeste completamente.

Geralmente, os pacientes vão ao médico com cistos já em execução, cada vez mais difíceis de tratar do que aqueles que estão nos estágios iniciais de desenvolvimento. O fato é que, a princípio, o cisto não incomoda o paciente. E apenas com exacerbação e sintomas manifestos, ele chega ao médico com queixas.

Sintomas de um cisto na fase ativa:

  • febre, fraqueza, sonolência,
  • dor na parte inferior das costas com flexão, movimento e sentado, que está se tornando cada vez mais intenso. Com supuração ativa, a dor fica latejante,
  • vermelhidão e inchaço no campo da patologia,
  • desconforto
  • crescimento de pêlos na pele no local da patologia,
  • o aparecimento de secreção purulenta no último estágio de desenvolvimento ou membranas mucosas - nos estágios primários.

Nem sempre esses sinais aparecem no agregado. Nos estágios iniciais, uma pessoa pode simplesmente notar algum desconforto durante o movimento. Mas isso já deve ser um sinal para uma visita ao médico.

Atenção! Um cisto requer tratamento. Se você abafar a dor tomando um analgésico, a pessoa se sentirá melhor, mas isso será um alívio temporário. Enquanto isso, o cisto se desenvolverá e logo uma abertura secundária fistulosa se formará.

Uma fístula que remove a supuração do cisto para o exterior já é uma complicação. Porém, na ausência de tratamento, outros problemas aparecem: um abscesso da articulação sacro-coccígea e danos aos ossos pélvicos podem ocorrer. A pele é coberta com eczema choroso. Com o tempo, se desenvolvem paraproctite e proctite. Tudo pode terminar muito triste - o desenvolvimento de tumores cancerígenos.

Razões para a aparência

O cisto do cóccix pode não incomodar o paciente durante toda a vida, mas, no entanto, certas condições e fatores podem provocar seu desenvolvimento. Pode ser:

  • enfraquecimento da imunidade,
  • lesões na região lombar e, em particular, no cóccix,
  • baixo nível de atividade física,
  • trabalho sedentário, o que implica sentar em um só lugar,
  • infecção corporal
  • falta de higiene pessoal adequada,
  • inflamação dos folículos,
  • hipotermia grave.

Às vezes, o médico não encontra razões visíveis para o desenvolvimento de tal cisto. E, em alguns casos, ele não começa a crescer, mesmo com o efeito combinado de todos os fatores.

Diagnóstico e tratamento

Você pode diagnosticar um cisto do cóccix com o aparecimento dos primeiros sintomas. No entanto, apenas um médico pode fazer isso, embora ele seja guiado em maior medida apenas pelas manifestações externas da doença. E quanto mais cedo o cisto for detectado, mais fácil será tratá-lo. Nos últimos estágios, apenas um cirurgião pode lidar com isso. O período de recuperação após a cirurgia é bastante longo.

Atenção! A automedicação para cistos é muito perigosa! Vários remédios populares recomendados pelos curandeiros, neste caso, podem agravar significativamente a situação, obstruindo finalmente a abertura do cisto ainda aberta e provocando seu desenvolvimento ainda mais ativo. E isso inevitavelmente levará o paciente à mesa do cirurgião.

Uma operação para remover um cisto é realizada sob anestesia geral ou local e dura cerca de 30 minutos. A cápsula com conteúdo é retirada do paciente e as fístulas que aparecem também são removidas. Em geral, a cirurgia é indicada em qualquer estágio do desenvolvimento do cisto e é considerada o tratamento mais eficaz que evita recaídas, uma vez que o tubo epitelial é completamente removido. Geralmente, a operação é realizada durante a remissão, extremamente raramente - com exacerbações.

Tabela Maneiras de remover cistos do cóccix.

MetodologiaRecurso
Ferida aberta A supuração é realizada, as cavidades são limpas de pus e as bordas da ferida limpa são suturadas uma à outra. A técnica elimina recaídas, mas o período de cicatrização é longo e às vezes é de cerca de 2 meses. Normalmente, o método é usado para cistos na fase aguda.
Ferida fechada Quando o cisto é removido, um pequeno orifício de drenagem se forma. O período de recuperação é de aproximadamente 3 semanas. O método evitará recaídas.
Método Basco Durante a operação, as passagens anormais primárias são suturadas e um sistema de drenagem é instalado nas secundárias, o que permitirá que o exsudado seja removido.
Método Caridas Uma excisão completa do cisto e um pequeno retalho da pele ocorrem. Nesse caso, a área afetada é deslocada para o meio da linha entre as nádegas. O método é caracterizado por uma alta taxa de cicatrização e um período de reabilitação fácil.

Se você quiser saber com mais detalhes o que é um cisto no cóccix das mulheres e também considerar sintomas e métodos alternativos de tratamento, leia um artigo sobre isso no nosso portal.

Como se recuperar após a cirurgia?

O período de reabilitação dependerá em grande parte de como o cisto foi removido. No entanto, existem recomendações gerais, pelas quais você pode voltar ao normal o mais rápido possível.

Etapa 1 Recomenda-se observar o repouso na cama.

Etapa 2 É necessário limitar qualquer atividade física e excluir o trabalho pesado por pelo menos um mês.

Etapa 3 É importante manter-se aquecido e proteger o corpo da exposição a baixas temperaturas.

Etapa 4 É necessário mudar a posição do corpo o mais rápido possível, e nas primeiras 3 semanas você não pode ficar deitado de costas ou sentado por um longo tempo.

Etapa 5 Quando as suturas são removidas, é necessário lavar regularmente a prega interglútea com um medicamento anti-séptico.

Etapa 6 Nos primeiros seis meses após a operação, é necessário remover os pêlos na área das dobras interglúteas.

Etapa 7 É importante visitar um médico regularmente para realizar exames e avaliar o estado geral.

Se você quiser aprender com mais detalhes como tratar um cisto no cóccix nos homens, bem como considerar métodos alternativos de tratamento e reabilitação, pode ler um artigo sobre isso no nosso portal.

Diagnóstico de cisto epitelial

O diagnóstico do aparecimento de sinais de um cisto no cóccix, por via de regra, não é difícil, mas apenas um especialista será capaz de diagnosticar com precisão os sintomas da formação cística a partir de sinais de outras doenças (osteomielite, abscesso, fístula do reto, paraproctite aguda).

Testes básicos de diagnóstico:

  • Ultra-som do sacro e cóccix,
  • sigmoidoscopia (um método para examinar o cólon com um endoscópio),
  • (exame interno usando uma sonda especial) fístulas fistulosas.

Se a dor do cóccix for combinada com a dor em diferentes partes da coluna vertebral, patologia do quadril, articulações do joelho, dor de cabeça e tontura, sensação enfraquecida nas pernas e braços, o médico prescreverá uma radiografia da coluna vertebral do disco intervertebral, artroscopia, ressonância magnética e Tomografia computadorizada, mielografia.

Tipos de operações de remoção de cisto do cóccix

É aconselhável realizar a operação para remover o cisto do cóccix o mais cedo possível - até que o processo ativo de inflamação e supuração tenha começado, no qual a intervenção é realizada em várias etapas. Se o seio pilonidal ou a passagem coccígea não estiver inflamada, a operação passa rapidamente e a probabilidade de recidiva e quaisquer complicações tende a zero.

É importante entender que o tratamento cirúrgico só é possível após a eliminação da inflamação na área da intervenção planejada. Para esse paciente, eles são necessariamente tratados com antibióticos e só então começam a remover a formação anormal.

Em caso de complicações, o médico deve recorrer a cirurgia de emergência.

A operação de remoção visa a eliminação completa do canal epitelial, como fonte de inflamação, orifícios primários e secundários e tecidos vizinhos afetados pela inflamação.

Remoção a Laser

A proctologia moderna está considerando a possibilidade de tratar cistos do cóccix em homens e mulheres com um raio laser que substitui um bisturi tradicional.

O cirurgião disseca a pele e o tecido adiposo em camadas e, em seguida, o cisto é excisado com um raio laser, incluindo todos os ramos e aberturas de saída.

As características do método de remoção a laser permitem ao cirurgião realizar manipulações precisas, uma vez que o campo cirúrgico não está cheio de sangue. Isso ocorre devido à vedação imediata (coagulação) dos vasos sanguíneos quando expostos a um laser.

Método de ondas de rádio

A remoção das ondas de rádio do cisto no cóccix fornece uma excisão de alta precisão do tecido afetado com uma faca de ondas de rádio, evaporando células de formação anormais. Ao mesmo tempo, ocorre a coagulação dos vasos danificados e a desinfecção completa do campo cirúrgico. Não há contato da “faca” com os tecidos, o que também minimiza o risco de ferimentos e reduz o tempo de recuperação.

As vantagens da remoção a laser e de ondas de rádio do cisto coccígeo incluem:

  • a intervenção é realizada sob anestesia local no dia do tratamento,
  • sangramento, dor, lesões nos tecidos moles estão ausentes,
  • o risco de inflamação secundária e reforma do cisto do cóccix é mínimo,
  • o procedimento pode ser realizado sem sutura,
  • o período de recuperação e cicatrização é reduzido e o movimento é permitido 2 horas após a intervenção.

Após o procedimento de remoção do cisto a laser e ondas de rádio:

  • não é permitido sentar por pelo menos 10 dias,
  • 2 dias devem ser reservados para repouso no leito, deitado de lado (para excluir a carga na região glútea),
  • depois de 2 dias, é permitido andar pela sala, depois de um dia - para fazer pequenas caminhadas.

A cicatrização completa do tecido com um período pós-operatório normal ocorre de 4 a 5 semanas.

Cirurgia radical

O tratamento radical do seio pilonidal ou da passagem coccígea é possível apenas cirurgicamente, pois remove completamente todos os canais secundários, fístulas e cápsula do nó junto com a membrana. A remoção do cisto coccígeo é realizada pelo cirurgião proctologista na fase de subsidência dos sinais de inflamação. A intervenção é considerada descomplicada e dura de 30 a 60 minutos. É usada anestesia espinhal, na qual o paciente está consciente, ou anestesia intravenosa, que depende da complexidade e duração da operação.

A operação para remover o cisto do cóccix é realizada usando várias técnicas cirúrgicas.

Operação em duas etapas no fundo de processos purulentos

O tratamento para supuração ou fístulas que irrompem no intestino e nos ureteres envolve intervenções cirúrgicas de vários estágios.

Isso se deve ao fato de que durante os processos purulentos os tecidos estão inchados, inflamados, saturados com exsudato, o que requer excisão de uma grande quantidade de tecido subcutâneo junto com o abscesso. Depois disso, permanece uma ferida grave e extensa e aberta que não pode ser suturada devido ao processo inflamatório em andamento. Com essa ferida, o risco de infecção secundária é muito alto e a cicatrização é extremamente lenta.

Portanto, com esse procedimento, o pus é bombeado primeiro com uma seringa, depois é aberto um abscesso, a drenagem é colocada na forma de um tubo fino de borracha (para vazamento normal do pus) e são prescritos antibióticos potentes. No estágio 2 (após a inflamação), uma operação é realizada para remover passagens fistulosas, cistos do cóccix e uma pequena variedade de tecidos adjacentes. Resultados bastante satisfatórios são observados em 80 - 87% dos casos.

Técnica de ferida fechada

Este é o tipo mais simples de excisão do cisto coccígeo, que pode ser realizado apenas na ausência de um processo inflamatório, cicatrizes densas, inchaço, deformidades teciduais ou ósseas. Portanto, é tão importante que o proctologista seja examinado em tempo hábil.

Um corante médico é injetado nos orifícios primários para revelar todos os ramos da passagem epitelial.Usando um bisturi (ou faca elétrica), é realizada a excisão do cisto coccígeo e canais fistulosos com pele e fibra.

Em seguida, o cirurgião fecha a ferida, deixando um orifício para o tubo de drenagem através do qual o fluido seroso e sangrento deve sair. As suturas com essa técnica são removidas após 10 a 14 dias.

A desvantagem deste método é a alta probabilidade de recaída. Para reduzir o risco de reforma do cisto, essa técnica é usada apenas durante o período de subsidência de todos os sintomas.

Sinusectomia ou excisão subcutânea

O método é eficaz apenas na ausência de supuração e ramificação da passagem coccígea. A técnica é usada em um processo crônico ou em um canal fistuloso de apodrecimento na fase de subsidência dos sintomas. Uma sonda com uma faca elétrica é inserida na fístula, e a passagem epitelial ou cavidade cística é excisada por eletrocoagulação enquanto cauteriza vasos hemorrágicos. As suturas com esta técnica não impõem uma operação. O método é anêmico. Resultados positivos são observados em 90 - 93% dos pacientes. O risco de complicações é de 9 a 29%.

Método de ferida aberta

Essa técnica tem uma taxa de recaída muito baixa, mas também a cura mais longa após a cirurgia. A cápsula do cisto cóccix, juntamente com todos os canais secundários e fístulas, é completamente excisada. A ferida não é suturada, proporcionando uma saída natural de sangue e massas purulentas até a completa eliminação de todas as secreções. Após a operação, o paciente é constantemente monitorado pelos médicos para evitar infecções secundárias.

Após uma operação radical aberta, o repouso na cama com um lado é observado por 2 a 3 dias, você pode se levantar por 3 a 4 dias e depois caminhar. É necessário seguir rigorosamente as recomendações do cirurgião, uma vez que, no pós-operatório, a ferida permanece aberta até ser completamente limpa e coberta de vegetação. A reabilitação completa leva cerca de 4 a 5 semanas, depois o paciente volta gradualmente ao ritmo normal da vida.

Marsupialização

O método é usado para cistos inflamados profundos e várias passagens fistulosas, que são perigosas de cortar completamente. Os tecidos anormais são excisados ​​com um bisturi ou uma faca elétrica de acordo com um esquema especial, o conteúdo é removido, a cavidade é lavada. As bordas da incisão são suturadas aos tecidos da zona sacrococcígea, formando um canal de drenagem. Apesar da reabilitação a longo prazo, a recuperação ocorre em 90 - 93% dos casos.

Existem outros esquemas operacionais, por exemplo, usando métodos de cirurgia plástica para restaurar o volume de tecido removido.

Complicações

Após a cirurgia, o paciente está temporariamente preocupado com a dor na ferida e coluna vertebral, que são removidas com analgésicos. Mas às vezes, especialmente com a execução tardia da cirurgia, surgem complicações:

  1. Uma reação alérgica a soluções anestésicas.
  2. Sangramento com dano vascular.
  3. Danos nos nós nervosos.
  4. Dor prolongada na região sacral.
  5. Inflamação com infecção secundária.
  6. Lesões retais.
  7. Recaída, se durante a cirurgia passagens fistulosas e cápsula cística foram apenas parcialmente removidas.
  8. Seroma - acúmulo de líquido seroso nos tecidos no local da intervenção cirúrgica (ocorre com drenagem adequada e tratamento anti-séptico).

Característica patológica

Essa malformação congênita de tamanhos pequenos é uma cavidade alongada localizada sob a camada da pele. Na maioria das vezes, sua localização é vista alguns centímetros acima do ânus, quase no centro da dobra das nádegas.

Na terminologia médica, o cisto coccígeo é de quatro variedades, depende de onde está localizado, do grau de sua gravidade e das razões de sua aparência:

  1. O cisto dermatoide do cóccix está localizado profundamente nas camadas de tecido da pele.
  2. O cisto epitelial está localizado na superfície da pele.
  3. O cisto pilonidal do cóccix aparece devido à exposição a pêlos encravados.
  4. A fístula coccígea é uma supuração infectada da pele de natureza aguda.

Dependendo do curso, o cisto coccígeo é classificado em quatro tipos:

  • Não complicado, em que uma pessoa não sente sintomas dolorosos e não sente desconforto.
  • Agudo com abscessos característicos.
  • Crônico, caracterizado pelo aparecimento periódico de abscessos.
  • Remissão com o desaparecimento completo dos sintomas característicos do período de exacerbação ou suas manifestações fracas.

Com um exame visual, o cisto não pode ser percebido. Mas apenas até o momento em que o lixo orgânico tem uma saída. No caso de entupimento do buraco, ocorre deterioração dos resíduos e inflamação do cisto.

Desenvolvimento da educação

Nem todas as pessoas sabem o que é um cisto no cóccix. Este é um defeito de nascimento que ocorre durante o desenvolvimento fetal. A formação pode aparecer durante a colocação do tecido ósseo do embrião. Normalmente, quando a cauda se forma no feto, um certo grupo de hormônios interrompe seu desenvolvimento. Com a falência hormonal, o tecido muscular continua a se desenvolver e, em seguida, um cisto epitelial é formado. Parece uma pequena cavidade, que por dentro é coberta com tecido mucoso. Esta formação não está associada ao sacro e cóccix.

A formação epitelial libera seu segredo, então um pequeno buraco aparece na pele acima dela, através do qual o líquido é removido. Ele está localizado acima do ânus, a uma distância de 7 a 10 cm. Quando uma abertura anormal é bloqueada, um processo inflamatório se desenvolve, então microorganismos patogênicos entram e um cisto é formado no cóccix. Parece uma pequena cápsula na forma de um oval, que também tem seu próprio curso anormal. Um novo orifício pode ser várias vezes maior que o anterior.


Com o desenvolvimento do processo inflamatório, a formação epitelial é transformada em cisto dermóide

Se o processo inflamatório continuar a se desenvolver, um cisto dermóide é formado. Esta é uma cavidade purulenta que possui contornos claros e sua cápsula consiste em um tecido mais denso. A formação é fácil de detectar durante o exame visual e palpação. O principal sintoma é a liberação de pus pelo buraco. Se o paciente não procurar ajuda médica a tempo, o cisto purulento pode se abrir. Então os sintomas dolorosos desaparecem, mas não por muito tempo. Nesta fase, a doença adquire um curso crônico, então a inflamação cobre o tecido circundante e a área afetada aumenta.

É importante. Os cistos no cóccix diferem na localização e nos estágios de desenvolvimento. Formas epiteliais nas camadas mais profundas da pele e dermóide se desenvolvem com supuração do tipo anterior. Há também um cisto pilonidal que ocorre quando o cabelo cresce nas dobras interglúteas na pele. Os bulbos entopem os poros, um processo inflamatório se desenvolve, então o corpo isola o objeto estranho, o envolve em uma membrana purulenta, tentando empurrá-lo para trás. Na cavidade existem cabelos, células mortas, micróbios patogênicos.

O cisto do cóccix é diagnosticado com mais frequência em homens de 15 a 30 anos; em casos raros, a formação aparece em mulheres. Isso se deve ao fato de que as passagens epiteliais do sexo forte são mais suscetíveis a processos inflamatórios.

Não adie uma visita ao médico, pois a patologia adquire um curso crônico. E isso ameaça com complicações e síndrome da dor que ocorre periodicamente.

Causas da doença

Para entender o que é um cisto no cóccix, é necessário entender cuidadosamente o processo de desenvolvimento intra-uterino de uma pessoa. Existem alguns defeitos de natureza hereditária que resultam nesse problema. Mas, em geral, a verdadeira razão do desenvolvimento dessa anomalia, os cientistas não puderam divulgar completamente. Existem suposições, hipóteses, mas não há fortes evidências de por que isso está acontecendo. Vale ressaltar que o surgimento da patologia não depende do gênero.

Existem várias razões pelas quais um cisto no cóccix fica inflamado:

  • a presença de pequenos arranhões na pele,
  • lesões na região lombar
  • hipotermia do corpo,
  • doenças infecciosas
  • incumprimento das normas sanitárias,
  • transpiração excessiva
  • estilo de vida sedentário
  • sistema imunológico enfraquecido.

A pelagem da prega glútea agrava a situação e é uma das principais causas do processo inflamatório no cóccix.

O que é e o que é perigoso

O cisto do cóccix em homens e mulheres é congênito e representa uma malformação embrionária. Às vezes, a doença se manifesta no nascimento, mas com mais freqüência é completamente assintomática até que o cisto se inflama sob a influência de causas externas ou internas.

Ele está localizado na região sacrococcígea, na prega entre as nádegas, a uma distância de 8 a 10 cm do ânus, e parece um pequeno orifício ou vários orifícios.

O perigo de cistos coccígeos reside em suas complicações, dentre as quais as mais comuns são:

  • a ocorrência de cavidades secundárias,
  • malignidade (degeneração em carcinoma espinocelular),
  • abscesso, fleuma da região sacro-coccígea: desenvolve-se quando o pus se espalha sobre a membrana,
  • pioderma,
  • lesões cutâneas fúngicas.

Tais complicações formidáveis ​​não apenas prejudicam o desempenho, mas também ameaçam a vida do paciente.

Revisões do tratamento cirúrgico

A seguir, algumas das opiniões de pessoas que compartilharam com nossos editores sua experiência com a cirurgia para remover o cisto coccígeo.

Petr Konstantinovich, 39 anos, Ufa:

“Com 29 anos, tive um cisto extirpado de cóccix em um centro médico local. Então tudo se recuperou rapidamente, depois de algumas semanas começou a funcionar novamente. Nos últimos anos, dor e inflamação começaram a aparecer entre as nádegas, eu não perguntei aos médicos - ela passou com o tempo. Alguns meses atrás, ele estava gravemente doente com a gripe; como resultado, o cisto voltou a ser sentido (um vício abscesso purulento apareceu perto do cóccix). Em seguida, o terapeuta me aconselhou a consultar um proctologista, depois me foi prescrita uma segunda operação para remover um cisto doloroso do cóccix. Ele passou pelo menos um mês no hospital. Em geral, deve-se recorrer imediatamente a profissionais de uma especialidade médica estreita, a fim de realmente curar um cisto e não diminuir temporariamente os sintomas. ”

Victoria, 25 anos, Moscou: “Há quase cinco anos, encontrei um cisto coccígeo. Virei-me para o médico porque sentia desconforto nas nádegas, enquanto estava sentado na sala de aula da instituição de ensino - era terrivelmente desconfortável. Recomenda-se fazer uma cirurgia. Eu estava com medo, por um longo tempo, decidi, mas ainda concordei. Surpreendentemente, a operação foi rápida, quarenta minutos sob anestesia local, uma semana depois os pontos foram removidos e voltei a estudar. Agora estou feliz - não preciso mais suportar a terrível coceira, vivo em paz. ”

Sergey Olegovich, 33 anos, Chelyabinsk: “Quando eu era adolescente, a coceira me incomodava, havia desconforto no cóccix, às vezes aparecia uma erupção cutânea. Uma vez no inverno, durante o período gelado, caí, atingido com força pelo cóccix. Eu não fui ao médico na época - tratei o hematoma com pomada, tudo foi embora. No entanto, após cerca de um mês a dor voltou, o inchaço no cóccix ainda aparecia, o que dificultava a sessão. Fui ao médico, o proctologista determinou o diagnóstico (cisto dermóide), receitou medicamentos para beber e logo uma operação cirúrgica foi prescrita. As suturas cicatrizaram muito tempo depois, além disso, uma cicatriz foi formada na ferida e, como resultado, foi removida a laser. O médico acredita que esses problemas surgiram porque ele se atrasou: ele teve que iniciar o tratamento mais cedo. ”

De todas as análises, é fácil destacar o principal - quanto mais cedo você começar a tratar um cisto coccígeo, maior a probabilidade de a operação ser bem-sucedida - nenhuma recaída ocorrerá. Portanto, se você suspeitar de um cisto no cóccix no corpo, consulte um médico.

Diagnóstico de patologia

Você não pode fazer uma visita ao proctologista ao menor sinal da doença. Quanto mais cedo o cisto do cóccix for diagnosticado, mais rápido será iniciado o tratamento. A doença é tão claramente manifestada que um especialista conhecedor precisa de um exame primário do paciente. Para excluir possíveis complicações e entender a gravidade do problema, o proctologista realiza um exame retal. Confirme suas suposições e descubra informações mais detalhadas usando tomografia computadorizada, ressonância magnética e ultra-som.

Um método eficaz é o diagnóstico de cistos do cóccix usando fistulografia. Graças a ela, é possível entender em que direção a fístula está localizada sob uma camada de pele. Isso ajuda a evitar recaídas após o tratamento. Para realizar esse método, um agente de contraste é introduzido na fístula, após o qual é realizada radiografia ou tomografia computadorizada. Este procedimento é estritamente contra-indicado no caso de uma condição grave do paciente, a presença de sangramento pela abertura do cisto e se o corpo do paciente não tolerar agentes de contraste.

Fatores e causas de risco

As causas desta doença:

  • Inativo, mais frequentemente sedentário,
  • Excesso de peso
  • Doenças infecciosas
  • Uma passagem espessa e peluda no ânus,
  • Imunidade diminuída,
  • Má higiene
  • Impacto mecânico - uma queda no cóccix.

Como tratar um cisto do cóccix?

A remoção cirúrgica do cisto coccígeo é a melhor opção para o tratamento da doença. Uma cápsula abandonada, mais cedo ou mais tarde, sofrerá inflamação. A proximidade com a fístula do ânus, a presença de couro cabeludo e a transpiração levam ao fato de que a infecção penetra na cavidade, que é repleta de recorrências de recidivas.

Uma operação para remover um cisto do cóccix é prescrita somente após terapia conservadora.

Tratamento medicamentoso

A terapia com medicamentos visa aliviar a dor e a inflamação. Medicamentos anti-inflamatórios são prescritos antes e após a cirurgia para prevenir novas infecções da ferida e acelerar o processo de cicatrização. Dos analgésicos, Tempalgin e Analgin são considerados eficazes nesses casos. Contra processos inflamatórios, "Diclofenac", "Ibuprofen" é prescrito.

Para cada paciente, o médico se aproxima individualmente. Consequentemente, a dose do medicamento é prescrita levando em consideração as características do paciente.

Em caso de supuração grave e risco de infecção, recomenda-se o uso de antibióticos de amplo espectro. Nesse caso, doses estritas devem ser observadas, porque esses medicamentos geralmente apresentam efeitos colaterais graves.

Remédios populares

O uso de receitas alternativas é indicado para reduzir sintomas dolorosos, se não houver possibilidade de obter atendimento médico qualificado. Moderação e cautela no uso de remédios populares ajudarão a evitar os efeitos colaterais que às vezes e também após os medicamentos.

É necessário fazer tintura de própolis a partir de 6 partes de álcool e 1 parte de própolis. O produto é aplicado em um pano estéril e aplicado na área afetada por 2-3 horas, coberto com um filme e algo quente. Se você fizer uma compressa dentro de 7 dias, a inflamação desaparecerá gradualmente.

Erva de São João comprada em uma farmácia ou montada com sua própria mão é esmagada. 3 colheres de sopa. eu 0,5 l de água é derramado na erva medicinal e ferve em fogo por 15 minutos. O caldo é infundido, após o qual a água se funde. A grama resultante disso é aplicada à ferida e coberta com um filme. O remédio popular resfriado é removido e o cóccix é coberto com algo quente. O procedimento é repetido até que a cavidade esteja completamente limpa.

Para esta receita, você precisará enxaguar as folhas frescas de bananeira com água fervente e esmagá-las até formar o suco.Um curativo estéril é impregnado com este suco e aplicado ao edema por 30 minutos. Para aliviar a inflamação, o procedimento é realizado 1-3 vezes ao dia.

Eficaz é uma compressa de tintura de calêndula em álcool. Para isso, é necessário embeber um pano com um produto e, depois de aplicado na área afetada, cobrir com polietileno e um pano quente. É aconselhável fazer esse procedimento por pelo menos 4 horas. E é melhor colocar um curativo antes de dormir. Chega de 5 procedimentos para o desaparecimento completo do processo inflamatório e limpeza do cisto.

Mas não importa quão boas sejam as receitas folclóricas, não se deve confiar nelas especialmente e fazer uma visita ao proctologista porque a operação para remover o cisto do cóccix é considerada o método mais eficaz.

Tratamento cirúrgico

Vale ressaltar que é necessário recorrer à intervenção cirúrgica durante o período de remissão. Isso facilita muito o trabalho do cirurgião e traz recuperação. A excisão do cisto do cóccix é urgente se a situação exigir. Por exemplo, se a inflamação do cisto do cóccix estiver em risco de infecção.

A duração da operação leva de 30 minutos a uma hora. Durante a sua realização, o paciente está sob anestesia local. O curso agudo da doença requer uma operação em duas etapas. Inicialmente, o abscesso é aberto e seu conteúdo é limpo. A próxima tarefa dos médicos é aliviar a inflamação. Somente depois disso o cisto é extirpado e tudo relacionado a ele. A operação é quase sempre rápida e sem complicações. Dificuldades podem surgir durante o processo de reabilitação, que leva pelo menos um mês. Todo esse tempo, a ferida deve ser cuidadosamente tratada com anti-sépticos e enfaixada. As suturas são removidas não antes de 10 dias.

Durante o período de reabilitação, é contra-indicado dormir de costas, realizar um trabalho físico pesado e sentar-se firme. O médico explica ao paciente a seriedade de observar as regras de higiene pessoal e o risco de infecção de uma ferida não cicatrizada. Para acelerar a recuperação, são prescritos procedimentos fisioterapêuticos. É importante se proteger contra superaquecimento e hipotermia.

Fatores predisponentes

O tumor sacrococcígeo ocorre com mais freqüência devido a defeitos congênitos do feto. Durante muito tempo, a patologia não se manifesta de forma alguma. Sua supuração ocorre sob a influência de fatores negativos, por exemplo, após lesões do cóccix ou hipotermia.

A formação pilonidal se desenvolve na presença de pêlos abundantes entre as nádegas. Se o cabelo começa a crescer vigorosamente, com o tempo, os bulbos crescem na pele, provocando a formação de um cisto.

Além disso, existem as seguintes causas de formação patológica:

Dor no cóccix em homens

  • Estilo de vida passivo, trabalho sedentário.
  • Predisposição genética.
  • Imunidade diminuída, o desenvolvimento de processos infecciosos que provocam a formação de cistos.
  • Hipotermia do corpo.
  • Lesão no cóccix.
  • Cuidados inadequados, não observância da higiene pessoal.

Esses são os principais fatores que provocam a manifestação da formação epitelial.

Possíveis complicações

O período pós-operatório às vezes é acompanhado por sintomas dolorosos na área de intervenção cirúrgica e na coluna vertebral. Nesses casos, analgésicos são recomendados. Caso a doença tenha começado e o paciente tenha procurado tardiamente ajuda médica, podem ocorrer as seguintes complicações:

  • sangramento de vasos danificados,
  • problemas com terminações nervosas próximas,
  • dor intensa
  • processo inflamatório com reinfecção,
  • dano ao reto
  • se o cisto for removido incorretamente, existe o risco de recidiva,
  • abscesso.

Se o cisto do cóccix após a cirurgia não for tratado suficientemente bem no local da cirurgia, pode haver acúmulo de líquido seroso, é possível a formação de abscessos. Nesses casos, apenas o tratamento anti-séptico e a drenagem adequados economizam.

Que complicações um cisto pode ter?

Se o cisto coccígeo não for removido a tempo, podem aparecer as seguintes complicações graves:

  • a formação de novas fístulas,
  • eczema da pele,
  • inflamação do tecido - phlegmon,
  • a formação na área do cóccix de abscessos purulentos - abscessos,
  • lesão purulenta dos ossos do quadril - osteomielite,
  • processos inflamatórios e purulentos no reto - proctite,
  • inflamação purulenta dos tecidos que circundam o reto - paraproctite,
  • câncer no epitélio da pele.

Um cisto no cóccix inicia o desenvolvimento ativo sob a influência de fatores externos negativos; portanto, se ocorrerem os primeiros sinais da doença e suspeita de patologia, você deve consultar imediatamente um médico para selecionar métodos eficazes de tratamento. Se a tempo de realizar uma operação cirúrgica para remover o cisto, a doença não retornará.

Diagnóstico

O cisto coccígeo progride rapidamente, depois o processo inflamatório cobre uma área cada vez maior de tecidos moles, desenvolvendo complicações. Portanto, recomenda-se iniciar o tratamento o mais rápido possível. Quando os primeiros sintomas da doença aparecerem, você deve entrar em contato com um proctologista.

É importante. Não é difícil identificar o cisto do cóccix, o principal é determinar com precisão sua localização. Afinal, buracos frequentemente anômalos não coincidem com o foco da formação.

Em um estágio avançado, quando a formação já está supurando e as acumulações deixam o canal, é bastante simples fazer um diagnóstico. No entanto, às vezes o médico pode prescrever um raio-x para distinguir o cisto coccígeo de doenças semelhantes, por exemplo, osteomielite coccígea, paraproctite (a formação de canais patológicos entre o reto e a pele devido à supuração).

Nos estágios iniciais, os seguintes métodos de diagnóstico instrumental são usados ​​para identificar o tumor:

  • Raio X da pelve.
  • Imagem por ressonância magnética ou computada.

Após o diagnóstico, o médico elabora uma tática de tratamento.

Contra-indicações para cirurgia

A ressecção cirúrgica do cóccix também possui um conjunto de contra-indicações, dependendo do estado de saúde do paciente e do curso da doença. Muitas vezes, os médicos recorrem à ressecção somente depois de terem tentado todas as técnicas conservadoras possíveis. Se a terapia não deu os resultados desejados, e mesmo os medicamentos não esteróides não conseguem lidar com as dores, eles estão revisando o tipo de tratamento.

Existem também doenças agudas que interferem na intervenção:

  • problemas no fígado
  • doenças oncológicas
  • distúrbios no sistema circulatório ou imunológico,
  • problemas cardíacos.

Período de recuperação

O paciente passa o primeiro dia em um hospital, não é permitido levantar-se. Pode haver problemas com a micção, caso em que é usado um cateter. Se a operação foi realizada sob anestesia geral, serão feitas perguntas ao paciente, verificando sua adequação e o final da anestesia.

Durante a estadia no hospital, eles trocam os curativos e os tratam com um anti-séptico à base de iodo ou álcool. Também é indicada a aplicação local de pomadas que aceleram os processos reparativos (cicatrização). Em alguns casos, a radiação UV e a terapia por microondas são benéficas.

No dia seguinte à operação, o paciente pode começar a se levantar e se mover lentamente. O período de hospitalização é de vários dias. Periodicamente, o paciente vai a curativos, recebe analgésicos e antibacterianos.

Após a remoção das suturas, é necessário um banho higiênico na área das dobras interglúteas. Uma vez por semana, durante seis meses, será necessário realizar a depilação dessa área.

Quais perguntas são feitas com mais frequência a um proctologista

  1. Como reconhecer um cisto do cóccix?
  2. O que é um cisto purulento do cóccix?
  3. Onde está o cisto do cóccix?
  4. Qual é o perigo do cisto do cóccix (o que ameaça)?
  5. como aliviar a inflamação?
  6. do que é o cisto cóccix?
  7. Como remover um cisto do cóccix?
  8. onde fazer a operação?
  9. cisto cóccix quanto tempo dura a operação?
  10. Quanto custa a operação?
  11. quanto ficar no hospital?
  12. cisto cóccix - quanto não pode sentar-se?
  13. Como é cortado um cisto no cóccix?
  14. Com qual médico devo entrar em contato (consultar)?
  15. Posso praticar esportes?
  16. É possível morrer de um cisto no cóccix?
  17. Preciso de uma operação?
  18. como aliviar a inflamação?
  19. por causa do que o cisto do cóccix é formado (aparece)?
  20. o que levar para dentro?

Consulta gratuita com proctologista

Por que ocorre um cisto do cóccix?

As causas de cistos em todas as pessoas são as mesmas. Como indicado acima, malformações congênitas do corpo humano são a fonte do aparecimento do cisto coccígeo. Se durante o desenvolvimento do feto embrionário a formação da camada de gordura subcutânea foi prejudicada, um cisto é formado na área do cóccix - uma cápsula patológica, na maioria das vezes semelhante a uma forma oval.

No cisto, acumulam-se partículas de cabelo, tecido muscular, bem como a secreção de glândulas adiposas e gorduras. Então tudo chega à pele através de um pequeno orifício. Se entupir, podem ocorrer processos purulentos e inflamação aguda.

Vários fatores negativos afetam o desenvolvimento do cisto coccígeo:

  • doenças acompanhadas de processos inflamatórios,
  • um modo de vida em que uma pessoa se move um pouco, senta-se muito,
  • lesões, contusões graves na área do cóccix,
  • não observância da higiene pessoal, especialmente no cóccix,
  • hipotermia ou superaquecimento do corpo,
  • imunidade reduzida
  • na região glútea, a linha do cabelo é altamente desenvolvida.

Nas mulheres, a probabilidade de cistos do cóccix na idade embrionária é a mesma que nos homens. No entanto, é muito mais provável que os homens se queixem de um cisto no cóccix, dor neste local, desconforto. Por que isso está acontecendo? O corpo masculino é mais propenso a inflamação, inchaço, cistos apodrecidos.

O cisto do cóccix é uma doença crônica, durante a doença há períodos de remissões e exacerbações. Muitas vezes, o paciente se sente melhor quando um cisto purulento forma um buraco adicional (isto é, uma fístula) e depois o pus sai através dele. No entanto, após algum tempo, o desconforto retorna novamente.

Devido à atenuação periódica da dor e coceira, muitas pessoas adiam a viagem a um especialista, mas isso não pode ser feito! Se você sentir desconforto no cóccix, consulte um médico para evitar o desenvolvimento de complicações dolorosas.

Comentários

Sua mensagem foi enviada com sucesso.

As pessoas vêm a nós de todas as regiões da Ucrânia!

Bila Tserkva, Berezan, Boguslav, Boryspil, Boyark, Butch, Brovara, Flores, Cereja, Vyshgorod, Irpen, Kagarlyk, Mironovka, Obukhov, Pereyaslav-Khmelnitsky, Pripyat, Rzhishchev, Skvira, Tarash, Tetiev, Uzin, Ucrânia

Bar, Bershad, Vinnytsia, Gaysin, Zhmerynka, Kazatin, Kalinovka, Ladyzhin, Mogilev-Podolsky, Nemirov, Adega, Tulchin, Khmelnik, Shargorod, Yampol

Apostolovo, Verkhnodniprovsk, Volnogorsk, Dneprodzerzhinsk, Dnepropetrovsk (Dnipro), Águas Amarelas, Kryvyi Rih, Manganês, Nikopol, Novomoskovsk, Ordzhonikidze, Pavlogrado, Pereshchepino, Pershotravensk, Podgorodnoern, Pyatikovskaya, Pyatnikovsk

Andrushevka, Baranivka, Berdichev, Zitomiro, Korosten, Korostyshev, Malin, Novograd-Volynsky, Ovruch, Radomyshl

Beregovo, Vinogradov, Irshava, Mukachevo, Perechin, Rakhiv, Svalyava, Tyachev, Uzhgorod, Khust, Chop

Berdyansk, Vasilyevka, Volnyansk, Gulyaypole, Dneprorudnoe, Zaporozhye, Kamenka-Dneprovskaya, Melitopol, Molochansk, Orekhov, Pologi, Primorsk, Tokmok, Energodar

Bolekhov, Burshtyn, Galich, Gorodenka, Vale, Ivano-Frankivsk, Kalush, Kolomyia, Kosov, Nadvirna, Rogatin, Snyatyn, Tysmenitsa, Tlumach, Yaremche

Alexandria, Bobrinets, Gayvoron, Dolinskaya, Znamenka, Kirovohrad, Malaya Viska, Novomirgorod, Novoukrainka, Svetlovodsk

Belz, Castor, Castor, Brody, Busk, Grandes Pontes, Argila, Cidade, Dobromil, Drohobych, Dublyany, Zhydachiv, Zholkva, Zolochev, Kamenka-Bug, Lviv, Mostiska, Nikolaev, Nikolaev, Novy Rozdol, Peremyshlyany- Pustomyty, Roy Russo, Radekhov, Minério, Sambir, Skole, Sokal, Old Sambir, Stry, Truskavets, Ugnev, Ugnev, Khyrov, Chervonograd, Yavorov

Bashtanka, Voznesensk, Nikolaev, Nova Odessa, Novo Inseto, Ochakov, Pervomaisk, Snigirevka, Yuzhnoukrainsk

Zhovten, Kamenskoye, Orlovka, Petrovka, Ananyev, Artes, Balta, Belgorod-Dniester, Belyaevka, Bolgrad, Izmail, Ilyichevsk, Kiliya, Kodyma, Kotovsk, Odessa, Tatarbunary, Teplodar, Sul

Krasnogorovka, Lubny, Gadyach, Globino, Pente, Zenkov, Karlovka, Kremenchug, Kobelyaki, Komsomolsk, Lokhvitsa, Mirgorod, Piratina, Poltava, Khorol, Chervonozavodskoye

Berezne, Dubno, Dubrovitsa, Zdolbunov, Korets, Kostopol, Kuznetsovsk, Ostrog, Radivilov, Rivne, Sarny, Antopol, Kuznetsovsk

Akhtyrka, Belopole, Buri, Glukhov, Krolevets, Konotop, Cisne, Putivl, Romny, Seredina-Buda, Sumy, Trostyanets, Shostka

Berezhany, Borshchev, Buchach, Zalishchiki, Zbarazh, Zbor, Kremenets, Lanovtsy, Mosteiro, Podvolochisk, Pochaev, Skalat, Ternopil, Terebovlya, Chortkov, Shumsk

Balakliya, Barvenkovo, Bogodukhov, Valki, Velikiy Burluk, Volchansk, Dergachi, Zmiev, Passas, Krasnograd, Kupyansk, Lozova, Lyubotin, Merefa, Pervomaisky, Kharkov, Chuguev, Quintais, Taranovka

Berislav, Genichesk, Naked Quay, Kakhovka, New Kakhovka, Skadovsk, Tavriysk, Kherson, Tsyurupinsk

Volochisk, Cidade, Derazhnya, Dunaevtsy, Izyaslav, Kamenetz-Podolsky, Krasilov, Neteshin, Slavuta, Starokonstantinov, Khmelnitsky, Shepetovka

Vatutino, Assentamento, Zhashkov, Zvenigorodka, Zolotonosha, Kamenka, Korsun-Shevchenkovsky, Mosteiro, Dare, Talnoe, Uman, Khristinovka, Cherkasy, Chigirin, Shpola

Bakhmach, Bobrovitsa, Borzna, Gorodnya, Desna, Ichnia, Koryukovka, Mena, Nizhyn, Novgorod-Seversky, Nosovka, Priluki, Sednev, Semenovka, Chernihiv, Shchors, Kruty, Kozelets

Vashkovtsy, Vizhnitsa, Hertz, Zastavna, Kitsman, Novodnistrovsk, Novoselitsa, Sokyryany, Storozhynets, Khotin, Chernivtsi

Avdeevka, Donetsk, Volnovakha, Gorlovka, Dzerzhinsk, Debaltsevo, Dimitrov, Dobropole, Donetsk, Druzhkovka, Yenakiyevo, Zhdanovka, Zuhres, Kirov, Krasnoarmeysk Krasnij Liman, Konstantinovka, Mariupol, Makeyevka, Novogrodovka, maiorquino, Severodonetsk, Selidovo, Slavyansk, Neve , Soledar, Torez, Ugledar, Khartsyzsk, Shakhtyorsk, Yasinovataya.

Aleksandrovsk, Diamante, Alchevsk, Antratsit, Donetsk, Bryanka, Vakhrushevo, Mineração, Zymohiria, Golden, Zorinsk, Zymohiria, Golden, Krasnodon, Krasnopartizanskaya, Krasny Luch, Lisichansk, Lugansk, Lutugino, Miusynsk, Molodogvardejsk, Novodruzhesk, Novopskov, Pervomaisk, Perevalsk , Petrovskoe, Popasnaya, Volga, Rovenky, Rubezhnoye, Svatovo, Sverdlovsk, Severodonetsk, Starobelsk, Starobelsk, Sukhodolsk, Felicidade, Teplogorsk, Chervonopartizansk

Classificação 4,75 de 5 baseado em 4 opiniões

As críticas não são editadas, mas são verificadas por um moderador para proteger contra publicidade desleal. Obrigado pela sua compreensão! Por favor, indique a caixa de correio real se você quiser que possamos responder (reclamação, pergunta, sugestão, etc.). Seus dados pessoais não são transferidos para terceiros e não são usados ​​em correspondências publicitárias.

Revisões do Paciente

O cisto do cóccix é uma doença pouco conhecida, por isso os pacientes raramente suspeitam disso. Na maioria das vezes, ocorre a eles que essa é uma espinha ou fervura comum, principalmente porque seus sintomas são semelhantes. O paciente não chega ao médico imediatamente. A maioria das pessoas não trata o cisto como uma doença grave e prefere esperar até que ele passe.

Alguns sofrem por meses e até anos, enfrentam problemas com o sono, dor na posição sentada. Os pacientes, por via de regra, toleram bem a operação, mesmo que usem os serviços de medicamentos gratuitos. O período de recuperação pode ser muito difícil.

A probabilidade de complicações depende em grande parte da habilidade do cirurgião.Portanto, os pacientes tentam encontrar um bom especialista com antecedência e insistem na cirurgia precisamente com ele. Os médicos aconselham que você entre em contato apenas com um proctologista, embora o cirurgião plástico também possa intervir, suas qualificações e conhecimentos não são suficientes.

Muitos observam um desconforto grave após a cirurgia, que pode durar até 1-2 meses. Eles não podem sentar e ir ao banheiro se torna um verdadeiro tormento. É difícil para muitos se movimentar, é doloroso deitar de costas. No entanto, após o final do período de recuperação, os pacientes observam em suas análises que não se arrependem da operação e escrevem sobre como melhorar a qualidade de vida.

Após a alta, muitos pacientes precisam de ajuda. É necessário tomar banho diariamente, após o que no início do período de recuperação a ferida é ligada ou tratada, o que é bastante difícil de realizar independentemente.

Muitos observam que muitas vezes é necessário um assistente durante a permanência na ala. Alguns podem comer apenas enquanto estão deitados, outros nem sequer conseguem trocar de roupa. Quase todo mundo observa que a dor após a cirurgia é muito forte, tanto que até analgésicos poderosos não funcionam. Durante esse período, o apoio e a assistência de parentes são muito importantes.

Diagnóstico e tratamento da doença


Caso ocorra tal patologia, o atendimento médico é simplesmente necessário, uma vez que essa doença tende a fluir para uma crônica, além de causar complicações desnecessárias.

Um proctologista competente e qualificado pode fazer o diagnóstico já no exame inicial, com base nos sintomas clínicos da doença. No entanto, em alguns casos, pode ser necessária uma radiografia pélvica para excluir outras doenças semelhantes: osteomielite do cóccix e sacro, bem como fístula do reto.

Para o tratamento dessa doença, são utilizados métodos conservadores e intervenção cirúrgica.

No primeiro caso, a terapia é de natureza apenas preventiva e é frequentemente usada para aliviar processos inflamatórios agudos, bem como medidas preventivas no período pós-operatório de recuperação.

É possível se livrar completamente desta doença apenas por cirurgia. Além disso, quanto mais cedo isso for feito, menor o risco de desenvolver complicações indesejadas e o processo de reabilitação após a cirurgia é muito mais rápido.

Com o tratamento conservador, os medicamentos são usados ​​para ajudar a aliviar a inflamação, aliviar a dor aguda e geralmente aliviar a condição do paciente. Esses medicamentos incluem anti-inflamatórios não esteróides:

Além disso, em casa, as receitas da medicina tradicional são frequentemente usadas para remover sintomas desagradáveis ​​em um paciente. Para este fim, são usadas várias decocções, tinturas e pomadas.

Caldo de calêndula

Para se preparar, você precisará de:

  • flores de calêndula - uma colher de sopa,
  • água - um copo.

Ferva os ingredientes e cozinhe por dois a três minutos. O caldo resultante deve ser infundido por meia hora, umedecido um guardanapo de tecido e aplicado na área afetada, mudando a cada três a quatro horas.

Prevenção

Medidas preventivas são um elemento necessário para se livrar da patologia por um longo tempo. Como agentes profiláticos, são utilizados métodos gerais de fortalecimento que visam eliminar fatores que podem causar o desenvolvimento e o aparecimento de uma doença. Estes incluem:

  • regras de higiene pessoal, especialmente na área entre as nádegas,
  • fortalecendo o sistema imunológico
  • nutrição adequada
  • estilo de vida ativo
  • tratamento oportuno de infecções no corpo,
  • prevenção da exacerbação de doenças crônicas,
  • eliminação de distúrbios funcionais no corpo, em particular constipação,
  • tratamento imediato e, de preferência, prevenção de doenças no campo da proctologia, como hemorróidas, rachaduras, etc.

O cisto do cóccix é uma doença desagradável e dolorosa que causa não apenas dor, mas também muitos inconvenientes. Por isso, é importante evitar sua ocorrência, observando medidas preventivas. Com uma exacerbação do desenvolvimento da fístula, é importante procurar ajuda médica imediatamente.

Seja saudável! Não deixe de ler: Cisto pilonidal do cóccix.

É possível curar em casa?

Infelizmente, a cavidade cística deste tipo não é capaz de auto-reabsorção. A patologia é de natureza congênita e é formada muito antes de sua manifestação. Mudar o estilo de vida ou tomar certos medicamentos não pode afetar o desenvolvimento do tumor. Para uma cura completa, as operações são indicadas.

O uso de receitas de medicina tradicional não salvará o paciente de patologia. Eles podem levar a complicações ainda maiores se o tratamento oportuno não começar.


As propriedades anti-sépticas são camomila, calêndula, erva de São João, yarrow, bigode dourado e bananeira.

Com a ajuda do tratamento não cirúrgico, você pode remover sintomas desagradáveis, reduzir a manifestação de um processo inflamatório ou infeccioso. Aparelhos de decocção de ervas com propriedades anti-sépticas - camomila, calêndula, erva de São João, yarrow, bigode dourado e bananeira ajudam nisso.

Pin
+1
Send
Share
Send